sábado, 13 de junho de 2009

A Saga dos 7 Anos / Parte 2

E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.
Gênesis 3:6-7

Quando eu tinha sete anos... eu tive o meu primeiro e (por que não?) maior conflito de formação religiosa. Era sobre Adão, Eva, a maçã e a primeira lição da catequese. Assisti à aula, certamente sem prestar tanta atenção nos nudistas que protagonizavam aquela história e decidi por mim mesmo que já sabia tudo sobre aquilo. É sempre assim: primeiro eu me convenço de que sei a matéria, depois eu estudo. Alguns dias se passaram e o assunto da criação e da violação voltou a ser discutido, mas agora numa aula de História. E, por algum motivo que só Deus sabe, eu decidi falar tudo o que eu sabia sobre aquele casal. Abri a boca e saíram estas palavras:

- Antes de comer a maçã, os dois estavam cobertos com folhas. Mas depois que eles ouviram a serpente e aceitaram provar o fruto proibido, eles perderam a vergonha, arrancaram todas as folhas e ficaram sem roupa. É claro que Deus não gostou de nada disso e acabou expulsando os dois do Paraíso! Não é, professora?

Na verdade, a professora não chegou a discordar. Acho que ela estava ocupada demais pensando na minha perversão infantil. Alguns coleguinhas, que sabiam da 'verdadeira' história, me mostraram o livrinho que nós usávamos na catequese e eu li o trecho que dizia exatamente o oposto da minha certeza.
Eu não acreditava naquilo. Estava errado. Onde já se viu andar pelado por ai e ser punido simplesmente porque percebeu isso?... Mas confesso que fiquei com muita vergonha por ter feito um comentário completamente errado.

Quem diria que eu já mostrava, naquela época, a minha tendência a escrever novelas eróticas. Então que fique bem claro: Adão e Eva também foram as minhas primeiras vítimas imorais.

3 comentários:

Michele Hubner disse...

rsrs..é muito bom ser criança, a gente fala que sabe e ninguem consegue tirar aquilo de nossa cabeça..

o MeninO do lado__ disse...

huehauehuaheuehuahueahuehauhe³¹³¹³¹³
E quem diria que andar por aí pelado já foi a coisa certa =O

Por isso que eu digo que as coisas não vão pra frente.

Perdemos a grande chance de viver num paraiso de nudismo =D

Identidades Fragmentadas disse...

Gostei da posição: eu digo saber, de pois estudo para saber. Creio que quando crianças, conseguimos ser bem mais corajosos e expor aquilo que achamos ser a verdade. Ela sendo livre de paradigmas tão impostos por aquilo que nomeamos de sociedade.