quinta-feira, 19 de maio de 2011

Planos que eu não tenho

A minha vida é um projeto muito confuso de tentativa e erro. Às vezes eu acho que deveria planejar mais. Só que isso é um sinônimo de fracasso para mim. Porque eu pareço falso, crio expectativas erradas e altero a maluquice do destino.
Quero muito viajar, talvez por consequência da leitura do livro Eat Pray Love, mesmo que a uma velocidade de 0,001 página/mês. Para tanto eu vou precisar economizar e isso é algo que nunca fiz antes. E não é porque sobra. É que me adapto muito rápido ao pouco que ganho.
E tal qual a autora desse livro, eu apenas preciso reconhecer que essa risada escandalosa que invade o meu apartamento é, quem diria, minha mesmo.

Gente, eu estava na beira do caos. Achava tudo aqui muito chato, o mestrado muito chato, as matérias muito chatas... Mas eu me libertei disso. Tudo é muito chato mesmo. Bacana sou eu. Interessante. Atraente. Frete grátis. Mentira! Só atendo a região.
Brincadeira.
Que confusão.
Mas resumindo, é isso que estou vivendo. Acho que toda a poesia e melancolia pediram licença. Eu sou apenas um caderno. E aceito o demérito de sê-lo.
E na verdade sempre houve um plano para mim. Eu estava me culpando por não ser um estudante-filho-irmão-engenheiro perfeito. Mas não é nada disso que se espera de mim. As pessoas me querem em conflito com minhas habilidades, que eu não pare de escrever e que não incendeie o mestrado. Ao mesmo tempo em que desejam que eu seja um filho tranquilo com comentários muito ácidos sobre os casos de família. Um amigo incontrolavelmente instável, que te acha insuportável e não faz questão de disfarçar, mas te adora mesmo assim. Um paranormal não-evangélico que não deixa de usar a foto dos irmãos no visor no celular - o que simplesmente diz na minha cara toda vez que atendo uma chamada: Sim, você é um solteirão.
E para toda essa confusão que existe para ser cumprida, eu sou deliciosamente perfeito.

E o que eu me pergunto é por que, por tanto tempo, eu adotei um modelo de perfeição que não foi feito para mim? É um erro tão comum. Eu sou perfeito sim. E os defeitos já estão inclusos no pacote. O preço meu bem, é um só.
A não ser, é claro, que você não esteja na região.
Brincadeira.

Um comentário:

Sarah Habash disse...

Gostei muito de tudo aqui, estou seguindo!