domingo, 18 de setembro de 2011

Procura-se Vivo ou Vivo

Engraçado que sempre que eu procuro pelo meu amor eu o encontro ali, intacto, dentro de mim. E vem de forma tão inesperada. Hoje eu estava assistindo uma série e de repente comecei a chorar porque eu estava amando. E eu acho que amar é um verbo fantástico quando ele não precisa de um complemento. Não amei ao próximo, nem a Deus nem a mim mesmo. Apenas amei. Amei estar aqui. Amei estar respirando. E por um instante eu simplesmente não me arrependi de nada. Só que de verdade. Porque às vezes a gente carrega uma placa luminescente dizendo que faria tudo de novo, que erraria de novo... só para pretender uma certeza.

Eu devo desculpas a muitas pessoas. Só que eu não vou pedir. Não sei julgar merecimentos e não vou esperar mais pelo consentimento do próximo para que eu possa exercer a minha liberdade de. E também não existe complemento para essa liberdade. Liberdade de seja lá o que for.

Quanta coisa eu aprendi e mesmo assim eu continuo sem saber. E se hoje eu não tenho nada do que eu quis foi porque eu sonhei errado. E não há nenhum pecado nisso. Estou reformulando os meus sonhos. E me suicidando um pouco, liquidando aquilo que eu acho que não me faz bem, a respeito de mim mesmo.

Vou contar um segredo: eu não gosto de uma pessoa que está me dando aula e não torço pelo sucesso dela. Juro, não consigo. Sou um péssimo ser humano, não? Bom, não tenho nada a ganhar torcendo contra ou a favor. Apenas me permiti sentir isso. Desculpe por expressar algo tão pouco construtivo. É que sou um pouco invejoso e inseguro. Mas talvez eu também tenha os meus motivos para não aprovar certas atitudes de tal pessoa.

E entre ela e eu, me perdoem a paródia mas... eu me prefiro não 7 x 7, mas 70 x 7 vezes... por dia.

2 comentários:

Marcos Oliva disse...

Não adianta ficar negando o que sentimos. O melhor que temos a fazer é entender nossos próprios sentimentos, pra, a partir daí, mudarmos, ou nos adaptarmos.

Magnólia Ramos disse...

Bem... Nunca li um texto que cheguei a ficar extremamente empolgada como fiquei ao ler esse, porque parecia que era um texto que relatava algumas impressões minhas...

Amar não necessita de complemento. Concordo completamente.

Há coisas que vamos percebendo em nós, mas que mesmo assim não sabemos nem da metade de todo que poderíamos ou gostaríamos.

E enfim...

"Estou reformulando os meus sonhos. E me suicidando um pouco, liquidando aquilo que eu acho que não me faz bem, a respeito de mim mesmo."

Fiquei com olhos marejados, é isso que tenho sentido e tenho feito =)

Parabéns pela postagem.

É sempre muito bom vim aqui e ler seus textos *-*