quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ser honesto com a vida

Pai, eu falhei muitas vezes. Eu permiti que nós nos distanciássemos de uma forma que você não merecia. E também acho que eu não soube dar o valor necessário a tudo aquilo que você me fez. Eu te amo tanto e sei que você sabe. O que me deixa extremamente feliz é que eu sei reconhecer os meus erros e posso contar com a sua aceitação. Você é um grande líder e alguém que entende muito da vida.
Quando eu era mais novo, eu não queria ser igual a você. Eu não te entendia.
Eu me lembro de algo bem marcante, que me fez pensar muito. Quando meu irmão mais novo tinha uns 3 aninhos, ele estava brincando de carrinho com alguns amigos e, como quando a gente brinca de ser adulto, tem que incorporar um personagem. E ele era você. Naquele momento eu percebi a diferença entre mim e ele. E pude notar que de certa forma eu não estava sendo leal.
Acho que fui amadurecendo e ficando mais atento e hoje, com toda a certeza do mundo, eu quero muito ser igual a você. Tudo aquilo que eu faço eu penso se você aprovaria ou não. E isso molda pra mim um conceito do que é certo e do que é errado.
Penso muito em você. E sinto muita, mas muita saudade de nós.
Feliz aniversário.

Dos meus filhos eu sinto saudade
Eu tenho medo que eles achem que
Eu não sinto a falta deles
Como eu acho que eles sentem de mim
Pego o meu carro pelo asfalto
Uso um sapato da mesma maneira
Por influência do meu pai

Nando Reis

7 comentários:

Sentimentalidades-Todas disse...

Passado tanto tempo da infância, da adolescnêncai até, vez por outra ainda me vejo lutando para romper com alguns modelos parentais...
Mas quando me vejo mãe, errando mesmo quando o que mais quero é acertar, lembro o quanto sou agradecida pelos que me amaram e ainda hoje acreditam que eu posso ser o melhor...

Tocante, tocante!!!

E quando penso no amor que tenho por meu pai, tb penso nessa música

Abraços, Thiago!
Mônica

Caco disse...

É, o tempo faz a gente crescer e entender melhor os nossos pais.

Plínio Gomes disse...

Isso é seu, é meu, é nosso. Fico comovido com isso, porque de alguma forma, ou melhor, de todas as formas, é o que se passa aqui dentro também.
Abraço perfumado

Luke disse...

Existe perfeição textual, pois é, você conseguiu fazer uso dela. Deixou seus leitores comovidos com certeza. Mais uma vez, arrasou com a forma que traça sua forma de pensar em palavras

Danielle disse...

Imagino como deve ser para um pai ou uma mãe receber um feliz aniversário assim... muito bonito.

Anônimo disse...

Nice...

SUSANA disse...

Que lindo, Thiago!