sexta-feira, 6 de março de 2009

Indefinido Desejado

O que eu queria mesmo era criar um segredo pra te deixar louca de vontade de me descobrir.
Pra que você só pensasse em mim.
Mas por hora, não há segredo.
Há desvios de olhar.
Palavras retocadas.
Intersecção de dúvidas.
E eu penso em te abraçar forte pra você me sentir melhor.
Fico com medo de machucar.
O abraço acaba sendo normal.
E o normal é tão ruim.
Deixa a gente meio assim.
Sei lá.
Falta a loucura de um menino e a experiência de um homem.
Eu sou metade.
Você, se também for metade, penso que a gente irá se completar.
Eu me faço sexy.
Romântico.
Divertido.
Inteligente.
Tudo pra você.
Mas parece que tudo no tempo errado.
A gente se interrompe nas conversas.
Eu penso em pedir pra que você continue,
mas nossas falas coexistem.
E se isso não for amor,
eu não sei o que fazer.
Se for,
eu também não sei.
E por tanta falta de definição,
isso só pode ser amor.
Então,
eu quero é nem saber.
Eu só quero amor.

3 comentários:

Magnólia Ramos disse...

Os sintomas ñ falam, eles gritam, mas msm assim a duvida. Mesmo assim existe um inquestionavel questionamento sobre a realidade desse emoção... O amor e sua ampla variedade de caminho, mtas vezes generoso, outras cruel!

Mas é a vida, e amar tb é viver!^^

SUSANA disse...

Que texto PER-FEI-TO!!! Adorei!!! Lindo e simplesmente PERFEITO!!!

Juliana disse...

Thi!!!
Que texto maravilhoso!
Guardado como os outros!
Esse texto me lembrou aquela...
"Embaixo da cama
Nos carros passando
No verde da grama
Na chuva chegando
Eu vou voltar;

Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar
Eu vou estar, eu vou estar..."
bjukas^^