segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Quando uma verdade mal pode esperar

Um medo de me decepcionar. De não conseguir. Estou aprendendo a me amar loucamente e isso envolve uma crise muito grande porque parece que o medo de me machucar está aumentando mais. Eu quero ser dono de toda a minha história, mas parece que me ausento em algumas páginas. Tento ser tudo. E isso parece tão pouco às vezes. Se pudesse ver cada quadro do futuro para me tranqüilizar ou ao menos me conformar. Mas não. Tenho visões distorcidas e descontínuas. Se me preocupasse menos e se bebesse mais. Se jogasse mais. Se dependesse menos de hipóteses. Tudo isso por quê?

Maldita estrela cadente que passa rápido
demais pelo meu céu e não vejo.
Não me permite o desejo.
Se fosse um violão e não uma harpa.
Se fosse de gêmeos e não sagitário.
Se fosse mais carnal e menos imaginário.
Se fosse uma música e não um texto.
Se existisse um mínimo pretexto.
Se fosse verão e não primavera.
Se fossem problemas de outra era
Se fosse foxtrot e não valsa
Se a minha voz não ecoasse falsa
Mas se não existisse esperança
Nos meus sonhos de criança
Se não houvesse o abrigo
Que você divide comigo
Eu já teria desistido
Não fosse pelos amigos?

7 comentários:

Ana Aitak disse...

Fortes emoções nestes últimos posts. beijão

SUSANA disse...

Você vive me fazendo chorar. Que testo lindo e forte!

Beijóes!

Caco disse...

O negócio é não se pré-ocupar e sim ocupar os dias com aquilo que nos faz sentir bem. Que venha o futuro. E sonhar é essensial.

Juliana disse...

Oi Thi!
seu loko!Tudo que sei...é que as decisões
apressadas, aquelas que vem
fáceis e rápidas,sem hesitação...São as que nos perseguem
para sempre. Se vc se preocupasse menos, bebesse mais...sua visao nao se tornaria menos distorcidas...vc apenas aceitaria que nao precisa de oculos!
Bjukas meu lindo!

Menina Misteriosa disse...

Lindo...
Espero que este medo vá sumido com o tempo... e que você arrisque, viva, sinta...
Beijos

Ana Aitak disse...

adoro suas visitas, nobre companheiro do milenar hábito de roer unhas...

mil bjuss

SUSANA disse...

kkkkkkkkk Corrigindo: texto e beijões.