domingo, 9 de novembro de 2008

O Ted, a Ju e o Thi

1. O Ted

O Ted é o mais novo animal de estimação da Ju.

2. A Ju

A Ju é a mais velha amiga de estimação do Thi.

3. O Thi

O Thi, pelo que parece, sou eu.

4. A informação pertinente

A população de gatos é a segunda maior população de vertebrados de Rondonópolis, ficando atrás apenas dos hipócritas. A mãe do Ted teve muitos filhos, muitos partos e muitos carnavais.

5. Os carnavais

Para os brasileiros, é uma festa popular que acontece uma vez por ano. Porém, para gatos e baianos a coisa não é bem assim.

6. O histórico

Eu nunca gostei de gatos.

7. A surpresa

Eu adorei o Ted.

8. O motivo

O Ted é um amor de pessoa... digo, de gato.

9. A reciprocidade

O Ted também me adorou (por 8 segundos que, por coincidência, é o tempo que o peão deve ficar em cima do touro para tentar ser campeão)

10. O peão

Fica pra uma outra história. Este espaço já está pequeno demais pra mim, pra Ju e pro Ted.

11. A lembrança e a analogia

Quando eu era criança, um gatinho me arranhou. E uma outra vez, a minha vó estava limpando um peixe e deu bobeira. Tinha gato por aquelas bandas. Gato ladrão. A vó ficou danada de brava com o gato. E com todo mundo. Deve ter, em algum momento, descontado a raiva em mim, e eu fiquei bravo com o gato, porque ficar bravo com a vó era pecado (ainda é rs!). Então, passei a não gostar de gato. Passei a odiar milhões de gatos por causa de dois bichos safados. Agora, imagina se ao invés de gatos, isso tudo se passasse com pessoas. Assim mesmo, com gente de verdade. Talvez tenham sido 10 ou 20 ou 30 ou (...) pessoas que já me chatearam na vida (e olha que eu nem tenho muitos anos). Foram muitas vezes. Passei a odiar todas as pessoas do mundo? Não. Passei a odiar as 10 ou 20 ou 30 (...) pessoas infelizes? Melhor não responder (rs!).
A gente sabe a dor que é levar a culpa por coisas que a gente não fez. Que criança nunca foi injustiçada e acabou levando uma bronca ou uma chinelada por causa da arte do outro. Quanto ao mundo dos adultos, eu prefiro não exemplificar.

12. O Perdão

Perdão é uma palavra forte. E não se encaixa bem nesse texto. Vamos à próxima tentativa.

13. A reconciliação

Um gatinho arteiro de olhos azuis fez com que eu me sentisse muito bem. E o melhor, nem pediu nada em troca. O justo é que, se por causa de um gato você passa a odiar todos, basta um gato para que você passe a perdoar todos os outros.

14. A analogia ao avesso


Basta conhecer uma pessoa boa no mundo para perdoar todas as outras?

15. A resposta à pergunta acima

Fica por sua conta ;]




4 comentários:

Luiz Modesto disse...

Benvenutto Ted

Juliana disse...

Thiiii!!!!!
Posso responder???Posso...possso!?!?!
SIM!!!SIM!!!
Ainnn mais o Ted eh muito fofo!!E danado...thi vou mandar ele pra vc via sedex!!ahahahahah

"Sleepless long nights that is what my youth is for...Ohhhhh You're changing your heart
Ohhhhh You know who you are"

Saudadi saudadi!!!!!!

.A.m.e.i. .m.u.i.t.o. l.i.n.d.o.!.
Bjukasss^^

TH14G0 T disse...

ah!
a gente é tudo uma cambada de fofos.

Fenix disse...

hahaha
Tenho uma história parecida: quando eu era criança, um gatinho cravou as garras no meu pescoço. Mas depois disso eu adotei uma gata muito fofa, só que alguns anos depois ela morreu atropelada. Que trááágico! Depois disso eu não tive mais gatos. Mas minha tia tem uns 20 gatos.
:O
Sobre a última pergunta, acredito que sim, basta conhecer uma boa pessoa nesse mundo para renovar a esperança no ser humano. Se bem que até as pessoas ruins têm coração.