sábado, 6 de dezembro de 2008

Do livro 'Mulheres de Cabul', de Harriet Logan

YELDA tem nove anos. Nos conhecemos numa escola caseira clandestina em 1997, onde sua mãe lecionava. Vinte garotinhas estavam sentadas no chão de uma casa gélida aprendendo a ler e escrever.


A caminho da escola, escondíamos nossos livros dentro do sagrado Corão. Eu sabia que se os Talebans me pegassem indo para a escola, seria espancada. Acho que os Talebans não queriam que fôssemos à escola porque nos queriam burras. Os Talebans diziam, "Meninos são homens, meninas são mulheres, e mulheres não vão à escola". Fiquei triste e com raiva quando fizeram aquilo conosco. Os meninos podiam ir para a escola sem esconder seus livros, sem medo, mas nós tínhamos de nos esconder.


Gosto de todas as matérias da escola. Também gosto de cozinhar. Quero concluir meus estudos e ser médica. Estou feliz agora que os Talebans foram embora e posso ir à escola livremente. Também posso ver televisão e assistir programas infantis. Quero estudar e ir à escola. Isso porque, no futuro, quero ajudar meu povo,que é muito pobre. Quero que as crianças de outros países também tenham o direito de ir à escola. O estudo é bom para todas as pessoas. As outras crianças devem ser corajosas como nós, as meninas do Afeganistão, fomos.


_________________________________________

3 comentários:

SUSANA disse...

Meu DEUS! Parece uma realidade tão distante da nossa época! É assustador saber que as mulheres são tratadas como animais em algumas culturas e nada é feito a respeito disso! Fico pensando se fosse eu nessa situação e todo mundo fingisse que não vê. Horrível isso!

Juliana disse...

Ah como disse Susana, eh uma realidade tao distante de nós.Quando na verdade esta bem ali!
Ah quao bom eh estar aqui!!!!
=D bjukas amore!

TH14G0 T disse...

Distante da nossa época e distante do nosso país também, onde muita gente pagaria pra não estudar, se pudesse.