terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Eu por mim mesmo V

A silenciosa leitora diz:

... posso te fazer uma pergunta? ...
... você acha que seria mais feliz se fosse como os outros garotos? ...
... sair toda noite...
... ficar com um monte de garotas, essas coisas ...

Eu respondo:

Que pergunta difícil! Seria menos paranóico? Acho que sim. Meu telefone tocaria mais? Provavelmente. Eu me sentiria o John Travolta quando entrasse no msn e visse aquelas centenas de janelinhas piscando me chamando pra um embalo de sábado à noite [que filme novo!]? Certamente! Seria então mais feliz? Não... não tenho certeza.
Infelizmente para responder de uma forma mais direta, eu preciso me comparar aos "outros garotos". Eles se divertem mais, formam rodas de violão, pagode, disso, daquilo... eu já fico mais em casa, no máximo eu e minha galerinha formamos um triângulo, um quadrado, mas nunca uma rodinha e eles me fazem muito bem, mesmo sem aquele barulho todo [exceto quando eu tenho ataques de riso], sem aquela cachaça toda [só um pouquinho], sem aquelas estórias fantásticas de predação, canibalismo, pegação, amasso [só de vez em quando]. Então, quando eu me comparo com os outros garotos eu vejo que eles são felizes. Olho pra mim mesmo e, surpreendentemente, eu acho que estou entre o bilhão de pessoas mais felizes do mundo. Somos todos felizes. E, por mais estranho que pareça, temos muito em comum.
Quem é mais feliz? Impossível dizer, temos uma vida só e é bobagem ficarmos comparando nossa vida com a do fulaninho que parece estar feliz pela festa, pelo carro que ganhou do pai, pela nova milésima namorada quando na verdade ele pode estar feliz somente pelo fato de estar vivo.
Eu sei que você me perguntou isso porque você também teve estes conflitos de ver toda a juventude brilhar e ao mesmo tempo, não sentir que faz parte dela. Se eu fosse como os" outros garotos", provavelmente este blog não estaria vivo. Não haveria a amável leitora, nem o paranóico pseudoescritor, nem os queridos amigos comentaristas! E isso é muito triste!
Eu poderia tentar menosprezar os "outros garotos" só pra tornar a minha vida aparentemente mais interessante. Muita gente faz isso. Mas eu prefiro pensar que, independente de qualquer coisa, todo mundo inventa um jeito de dar risada, de ser feliz a sua maneira.
E por que eu usei aspas para me referir aos "outros garotos"?
Porque isso me lembra aquela música do Leoni:

Garotos não resistem
Aos seus mistérios
Garotos nunca dizem não
Garotos como eu sempre tão espertos
Perto de uma mulher
São só garotos...

Então, amável leitora, eu acho que nós somos farinha do mesmo saco. Alguns bebem mais, alguns beijam mais, mas nós somos só garotos...

____________________________________________

A amável leitora tem nome e sobrenome. Para evitar formalidades, digo só o nome: Silvana. Eu fico muito feliz pela sua presença constante e pelos elogios ao blog. E é claro, isso tudo foi uma homenagem a você e a todos os outros que me acompanham, sempre atenciosos, sempre gentis [a ponto de não me avisarem onde estão os erros de grafia! rs!]. Silvana, eu quero que você seja muito feliz. Principalmente porque você me fez pensar no quanto eu o sou. Independente se sou mais feliz ou não que os outros, eu sou feliz. E só. É o que importa. É o que conforta. É o que a vida pode me oferecer no momento.
Amável leitora, eu quero somente que você seja mais feliz que uma pessoa: a Silvana de ontem. Siga esse 'conselho' todo dia ;]
Beijos a todos!

7 comentários:

naughtyscholar disse...

try to write something in english, something short, maybe a poem or something... the suspense/not knowing is killing me :)

Zingador disse...

Garoto, jovem, rapaz, mancebo, calça curta, o que faz de nós algo, aquilo, esse ou aquele? O que não nos faz isso tudo? Sábio aquele que... Hum, siceramente já não sei tanto quem são os sábios... "Os que curtem a vida a doidado ou os que endoidam na vida sem curtir?" Mas sem sombra de dúvida ou mesmo com ela no calcanhar, a juventude de hoje anda se perdendo e quando derem conta do tempo perdido, já não serão mais jovens, garotos, mancebos, rapazes. Terão perdido muita coisa boa, o que poderia torná-los homens mais felizes, mais responsáveis, mais humanos e principalmente com mais amor no coração.
Grande abraço

SUSANA disse...

Mais uma vez um lindo texto! Nessa onda de somos todos iguais, costumam colocar os jovens todos num mesmo pacote e generalizam: "-Os jovens gostam de baladas. Os jovens só querem saber de ficar. Os jovens não são responsáveis."... Por mais que tenhamos coisas em comum, não somos todos iguais. E quando se deparam com um jovem que não pertence a essa realidade, o consideram uma aberração! Não posso ser calada e feliz? Felicidade=barulho??? Cada um tem um conceito de felicidade. Eu vivo a minha da MINHA maneira. Não tenho obrigação de ser maioria. Sinto-me na obrigação de ser FELIZ.

Rúbia disse...

.."todo mundo inventa um jeito de dar risada, de ser feliz a sua maneira."
Acho que ter criado foi uma das melhores coisas que eu fiz, tenho o meu cantinho , onde eu posso ser eu mesma, sem ser careta, como muitos pensam que sou, e o melhor de tudo,é que encontro textos como o seu,que fala de um tema que eu estou vivendo,Tiago, estou um pouco decepcionada com as coisas que vem acontecendo comigo, mas como diz o trecho do teu texto acima,eu sempre encontro um jeito de dar risada, Há ia quase me esquecendo,obrigada por dizer que tudo vai passar e os sorrisos vão voltar...
um abraço, até a próxima.

Fernanda Alves disse...

Nossa impressionate como toda vez que passo aqui,começo a pensar na vida...

aliás toda vez que vc escreve algo...
obrigada pelo comentario que fez em meus versos perdidos...
ele falou demais comigo.
parabens=)
feliz que visitou meu blog
passe sempre lá
serás muito bem vindo=)

Ana disse...

Realmente somos incomparáveis, somos cada um, somos únicos e por isso especiais ou pelo menos devíamos ser... linda resposta.Gostei de saber mais do nosso Thiago.

_thiago disse...

vocês enriqueceram o conteúdo do post com esses comentários lindos.
eu adoro as suas palavras. feliz, feliz, feliz!